Tutorial - Criando um Blog - Parte 1

Este tutorial irá orientá-lo através da criação de um simples blog. Faremos a instalação do CakePHP, criaremos um banco de dados e implementaremos a lógica capaz de listar, adicionar, editar e apagar postagens do blog.

Aqui está o que você vai precisar:

  1. Um servidor web em funcionamento. Nós iremos assumir que você esteja usando o Apache, embora as instruções para outros servidores sejam bem similares. Talvez seja preciso alterar um pouco a configuração do servidor, mas a maioria das pessoas pode ter o CakePHP instalado e funcionando sem qualquer trabalho extra. Certifique-se de que você tem o PHP 5.6.0 ou superior, e que as extensões mbstring e intl estejam habilitadas no PHP. Caso não saiba a versão do PHP que está instalada, utilize a função phpinfo() ou digite php -v no seu terminal de comando.
  2. Um servidor de banco de dados. Nós vamos usar o servidor MySQL neste tutorial. Você precisa saber o mínimo sobre SQL para então criar um banco de dados, depois disso o CakePHP vai assumir as rédeas. Já que usaremos o MySQL, também certifique-se que a extensão pdo_mysql está habilitada no PHP.
  3. Conhecimento básico sobre PHP.

Vamos começar!

Instalação do CakePHP

A maneira mais fácil de instalar o CakePHP é usando Composer, um gerenciador de dependências para o PHP. Se trata de uma forma simples de instalar o CakePHP a partir de seu terminal ou prompt de comando. Primeiro, você precisa baixar e instalar o Composer. Se possuir instalada a extensão cURL do PHP, execute o seguinte comando:

curl -s https://getcomposer.org/installer | php

Você também pode baixar o arquivo composer.phar do site oficial do Composer.

Em seguida, basta digitar a seguinte linha de comando no seu terminal a partir do diretório onde se localiza o arquivo composer.phar para instalar o esqueleto da aplicação do CakePHP no diretório [nome_do_app].

php composer.phar create-project --prefer-dist cakephp/app [nome_do_app]

A vantagem de usar o Composer é que ele irá completar automaticamente um conjunto importante de tarefas, como configurar corretamente as permissões de pastas e criar o config/app.php para você.

Há outras maneiras de instalar o CakePHP. Se você não puder ou não quiser usar o Composer, confira a seção Instalação.

Independentemente de como você baixou o CakePHP, uma vez que sua instalação for concluída, a estrutura dos diretórios deve ficar parecida com o seguinte:

/nome_do_app
    /bin
    /config
    /logs
    /plugins
    /src
    /tests
    /tmp
    /vendor
    /webroot
    .editorconfig
    .gitignore
    .htaccess
    .travis.yml
    composer.json
    index.php
    phpunit.xml.dist
    README.md

Agora pode ser um bom momento para aprender sobre como a estrutura de diretórios do CakePHP funciona: Confira a seção Estrutura de pastas do CakePHP.

Permissões dos diretórios tmp e logs

Os diretórios tmp e logs precisam ter permissões adequadas para que possam ser alterados pelo seu servidor web. Se você usou o Composer na instalação, ele deve ter feito isso por você e confirmado com uma mensagem “Permissions set on <folder>”. Se você ao invés disso, recebeu uma mensagem de erro ou se quiser fazê-lo manualmente, a melhor forma seria descobrir por qual usuário o seu servidor web é executado (<?= 'whoami'; ?>) e alterar o proprietário desses dois diretórios para este usuário. Os comandos finais a serem executados (em *nix) podem ser algo como:

chown -R www-data tmp
chown -R www-data logs

Se por alguma razão o CakePHP não puder escrever nesses diretórios, você será informado por uma advertência enquanto não estiver em modo de produção.

Embora não seja recomendado, se você é incapaz de redefinir as permissões do seu servidor web, você pode simplesmente alterar as permissões de gravação diretamente nos diretórios, executando os seguintes comandos:

chmod 777 -R tmp
chmod 777 -R logs

Criando o banco de dados do Blog

Em seguida, vamos configurar o banco de dados para o nosso blog. Se você ainda não tiver feito isto, crie um banco de dados vazio para usar neste tutorial, com um nome de sua escolha, por exemplo, cake_blog. Agora, vamos criar uma tabela para armazenar nossos artigos:

/* Primeiro, criamos a tabela articles: */
CREATE TABLE articles (
    id INT UNSIGNED AUTO_INCREMENT PRIMARY KEY,
    title VARCHAR(50),
    body TEXT,
    created DATETIME DEFAULT NULL,
    modified DATETIME DEFAULT NULL
);

Nós vamos também inserir alguns artigos para usarmos em nossos testes. Execute os seguintes comandos SQL em seu banco de dados:

/* Então inserimos articles para testes: */
INSERT INTO articles (title,body,created)
    VALUES ('The title', 'This is the article body.', NOW());
INSERT INTO articles (title,body,created)
    VALUES ('A title once again', 'And the article body follows.', NOW());
INSERT INTO articles (title,body,created)
    VALUES ('Title strikes back', 'This is really exciting! Not.', NOW());

Os nomes de tabelas e colunas que usamos não foram arbitrárias. Usando convenções de nomenclatura do CakePHP, podemos alavancar o desenvolvimento e acelerar a configuração do framework. O CakePHP é flexível o suficiente para acomodar até mesmo esquemas de banco de dados legados inconsistentes, mas aderir às convenções vai lhe poupar tempo.

Configurando o banco de dados do Blog

Em seguida, vamos dizer ao CakePHP onde nosso banco de dados está e como se conectar a ele. Para muitos, esta será a primeira e última vez que será necessário configurar algo.

A configuração é bem simples e objetiva: basta alterar os valores no array Datasources.default localizado no arquivo config/app.php, pelos valores que se aplicam à sua configuração. Um exemplo completo de configurações deve se parecer como o seguinte:

return [
    // Mais configurações acima.
    'Datasources' => [
        'default' => [
            'className' => 'Cake\Database\Connection',
            'driver' => 'Cake\Database\Driver\Mysql',
            'persistent' => false,
            'host' => 'localhost',
            'username' => 'cakephp',
            'password' => 'AngelF00dC4k3~',
            'database' => 'cake_blog',
            'encoding' => 'utf8',
            'timezone' => 'UTC',
            'cacheMetadata' => true,
        ],
    ],
    // Mais configurações abaixo.
];

Depois de salvar o arquivo config/app.php, você deve notar a mensagem CakePHP is able to connect to the database ao acessar o Blog pelo seu navegador.

Nota

Uma cópia do arquivo de configuração padrão do CakePHP pode ser encontrada em config/app.default.php.

Configurações opcionais

Há alguns outros itens que podem ser configurados. Muitos desenvolvedores completam esta lista de itens, mas os mesmos não são obrigatórios para este tutorial. Um deles é definir uma sequência personalizada (ou “salt”) para uso em hashes de segurança.

A sequência personalizada (ou salt) é utilizada para gerar hashes de segurança. Se você utilizou o Composer, ele cuidou disso para você durante a instalação. Apesar disso, você precisa alterar a sequência personalizada padrão editando o arquivo config/app.php. Não importa qual será o novo valor, somente deverá ser algo difícil de descobrir:

'Security' => [
    'salt' => 'algum valor longo contendo uma mistura aleatória de valores.',
],

Observação sobre o mod_rewrite

Ocasionalmente, novos usuários irão se atrapalhar com problemas de mod_rewrite. Por exemplo, se a página de boas vindas do CakePHP parecer estranha (sem imagens ou estilos CSS). Isto provavelmente significa que o mod_rewrite não está funcionando em seu servidor. Por favor, verifique a seção Reescrita de URL para obter ajuda e resolver qualquer problema relacionado.

Agora continue o tutorial em Tutorial - Criando um Blog - Parte 2 e inicie a construção do seu Blog com o CakePHP.